top-memorial-brasil-artes-cenicas-nordestina
 
  marcas_topo_site3
           
Fátima Suarez PDF Imprimir E-mail

Ftima_reduzidaFátima Suarez insere-se no universo da dança aos 9 anos de idade, quando também começara a fazer música, sendo aluna da professora Margarida Mascarenhas. Filha de espanhóis apaixonados por arte teve as influências e oportunidade necessárias para planejar sua formação e carreira. Formou-se em Ballet Clássico em 1982, na Escola de Ballet do Teatro Castro Alves. Em seguida, estudou em São Paulo com Ismael Guiser; no Rio de Janeiro com Eugenia Feodorova e na Escola de Ballet de Tatiana Leskova.

Muito nova, optara por não fazer vestibular para dança, uma vez que o diploma apenas confirmaria aquilo que ela já se considerava: uma dançarina. Em 1982, viaja para Londres, onde fica por dois anos, para estudar na London Contemporany Dance School. Fizera, ainda, cursos em outras escolas como no Laban Centre of Movement. Ao retornar ao Brasil, em 1985, realiza seu primeiro trabalho, " Sagração", em conjunto com outros bailarinos baianos, que compunham o grupo Gesto e o Grupo África Poesia, como Armando Pequeno e Paullo Fonseca. A partir dai inicia-se efetivamente sua carreira profissional.

Em 1986, funda, juntamente com Mirela Misi, o Mantra Centro de Dança, espaço no qual funcionara um estúdio de Pilates e servira como espaço para ensaios. Na mesma época, se uniram ao Mantra, Dimi Ferreira, Beto Castro, Simone Rorato, Pedro Paulo Rosa e o professor Antônio Carlos Cardoso, Ex-diretor do Ballet do Teatro Castro Alves. Ainda 1986, estreara o primeiro trabalho realizado pelo Mantra, "Garimpo", no Teatro Maria Betânia. Quando Antônio Carlos Cardoso retornara ao Teatro Castro Alves, uniram-se o Mantra Marcelo Moacyr, Rita Brandi, Marcos Moura, Leo Reis, Leila Gomes, dentre outros. Deste segundo momento do Mantra, resultaram os trabalhos: "Guernica", "Enfim Sós", "4 Tempos". Atualmente, o Mantra continua ativo devido aos trabalhos dessa artista com outros colaboradores, como "Em Casa", "SAM", "Persona", " Crase" e "O Carvalho".

A partir do Mantra teve a oportunidade de trabalhar com importantes coreógrafos do cenário nacional como Marcelo Moacyr, Tindaro Silvano, Ana Maria Mondini, Lia Robatto, Armando Pekeno,Frank Handeller, Lori Belliove entre outros. Apresentando-se nas principais capitais do Brasil, na França a convite da Université Lumiére de Lyon e do Festival TBB Dance de Toulouse e no Dance Theatre Workshop com Isadora Duncan Company.

Em 1990 fizera cursos na Martha Graham Dance School e Merce Cunninghann Dance Foundation, em Nova York. No mesmo ano, após se separar de Mirela Misi e conhecer Verônica Fonseca, funda a Escola Contemporânea de Dança. Nesta época, devido ao projeto de dirigir uma escola de dança, Fátima Suarez, que até então atuara como dançarina e coreógrafa, passa a ensinar dança profissionalmente. Percebendo que as técnicas de Grahan e Cunnighann não se adequavam ao ensino de dança moderna para crianças, Fátima retorna a Nova York, em 1992, para conhecer a técnica de Isadora Duncan, na Isadora Duncan Foundation, dirigida por Lori Bellove, a partir da qual pôde estabelecer um intercâmbio permanente com esta fundação e criar a própria técnica e filosofia da escola que dirigia.

Fátima Suarez criou e produziu, ainda, o Palco Alternativo, a Jornada de Dança da Bahia, o Curso de Formação para Professores em Dança. Atuou também em projetos voltados para a ampliação da criação e experimentação coreográfica, no sentido de capacitar educadores, envolvendo dançarinos da capital, do interior da Bahia e do exterior.

Em 2012, aos 47 anos, Fátima Suarez finalmente graduou-se em Dança pela Universidade Federal da Bahia e atualmente trabalha como coreógrafa e diretora dos espetáculos da Escola Contemporânea de Dança e do Contemporânea Ensemble, grupo da escola, fundado em 2002; bem como é articuladora do Forúm de Dança da Bahia e Diretora Geral da Associação das Escolas de Dança da Bahia (EDANÇA-BA).

 

 
FacebookGoogle BookmarksGoogle BuzzLinkedinMySpaceTwitter