top-memorial-brasil-artes-cenicas-nordestina
 
  marcas_topo_site3
           
Beth Rangel PDF Imprimir E-mail

Rangel_reduzidoA partir de 1971, após ingressar na Universidade Federal da Bahia, na área das Humanidades, com interesse em Administração e Ciências Sociais, Beth Rangel matricula-se nas disciplinas de Estética e Filosofia da Dança, descobrindo-se envolvida pela arte, mais especificamente pela dança, transferindo-se assim, definitivamente para os Cursos de Licenciatura em Dança e Dançarino Profissional, na mesma universidade, no qual tivera contato com pessoas que influenciaram sua vida artística, principalmente no que diz respeito às relações interdisciplinares entre a dança e outras artes. Assim, marcaram sua trajetória acadêmica e profissional, as professoras Lia Robatto e Dulce Aquino.

Depois de licenciada, em 1979, torna-se professora da Escola de Dança da UFBA, na qual atuara, principalmente, no campo de processos criativos e metodologias e práticas de ensino da dança, coordenando projetos fundamentados na Arte como Tecnologia Educacional. Nesta universidade, ocupou, ainda, os cargos de chefe de departamento, vice-diretora, assessora do reitor para assuntos de extensão e coordenadora de Colegiado na UFBA. Entre 2000 e 2005, atuou na condução do processo de reconstrução curricular e implantação curricular do Curso de Licenciatura em Dança da UFBA e em 2007, do Curso de Educação Profissional Técnico Nível Médio em Dança da FUNCEB.

Implantou e coordenou o Núcleo de Extensão do Teatro Castro Alves, entre 1986 e 1990, na gestão de Marcio Meirelles e Luiz Marfuz.

Foi consultora artístico-pedagógica no Liceu de Artes e Ofícios da Bahia, de 1997 a 2004, no qual atuara na coordenação pedagógica do projeto "Cuida Bem de Mim" (1997 a 2000), trabalhando na interface entre dança e teatro, juntamente com Luiz Marfuz. Ainda no Liceu, criou e dirigiu o Grupo de Dança do Liceu (2000 a 2004). Em 2004, através do projeto "Vidas em Movimento", atuou como responsável pela coordenação de oficinas de Liderança Jovem, Mobilização Cultural e Agente Social o que gerou uma ampliação na formação de jovens artistas, líderes de comunidade, para atuar como mobilizadores e agentes culturais. Com estes projetos conquistou dois prêmios nas categorias cultural e social: o Prêmio LIF, da Câmara França-Brasil, e o Top Social.

Atuou ainda como membro integrante do Fórum Comunitário de Combate a Violência (FCCV) desde 2000, propondo e coordenando projetos socioculturais, trabalhando a arte na interface com outras áreas do conhecimento, para a busca da compreensão e intervenção na questão da violência enquanto saúde pública.

No campo artístico, trabalhou como intérprete-criadora, coreógrafa e assistente de direção, marcando sua trajetória grandes nomes do meio artístico, com quem possuía afinidades estéticas, como Lia Robatto, Carmem Paternostro, Luiz Marfuz, Marcio Meirelles, Fernando Guerreiro, Wolf Maia e Sergio Souto. Estas experiências lhe possibilitara transitar por diversas artes, como teatro e a música, e valorizar o trânsito e a interface de conhecimentos.

Desde 2007 ocupa a direção da Escola de Dança da Fundação Cultural, SECULT-BA. A partir de 2011, passa também a coordenar o Centro de Formação em Artes da FUNCEB.

 

Veja abaixo o video de Beth Rangel.

 

 

 
FacebookGoogle BookmarksGoogle BuzzLinkedinMySpaceTwitter