top-memorial-brasil-artes-cenicas-nordestina
 
  marcas_topo_site3
           
Demian Reis PDF Imprimir E-mail

Demian_fotoNascido em 9 de março de 1973, Demian Moreira Reis é ator, palhaço, roteirista, diretor e pesquisador. Ele é baiano, nasceu no Hospital Espanhol, na Barra, mas tem uma história de vida e uma carreira bastante movimentada, pois morou em lugares diferentes e teve contato com realidades diversas.

Antes de se profissionalizar como artista, e mais especificamente como palhaço, Demian estudava História na UNICAMP, tendo passado a morar em Campinas após a aprovação no vestibular. Nessa época, participava de um grupo de teatro chamado Meio-Dia, dirigido por Joana Lopes, formado por estudantes de várias áreas, da UNICAMP. Em 1996, defendendo a tese de monografia sobre ''A dança do Quilombo", uma dança típica do estado de Alagoas, conclui sua graduação. Nesse período tomou conhecimento do programa de Pós-graduação em Artes Cênicas da UFBA ( PPGAC), onde deu continuidade à sua trajetória.

Entre 1999 e 2001, mergulhou nos estudos de seu mestrado, que teve como dissertação ''A Criação de um corpo-em-vida – explorando as fontes orgânicas da atuação'', orientado por Leda Muhana Ianitteli. Aqui, Demian aprofundou seus estudos sobre o corpo cênico do ator, tendo como ferramentas a mímica corporal, "contact improvisation", o clown, a capoeira angola e o que chama de elementos fundamentais do movimento humano. Ao mesmo tempo, nessa época de mestrado, trabalhou com David Ianitteli e Marta Bezerra, praticando técnicas de atuação como o contato improvisação, sempre com o foco de sua investigação voltado para o corpo cênico. Participava, também, do grupo X de David e apresentava espetáculos, paralelamente. No ano de 2000/2001, em parceria com o músico e compositor Davi Caires, apresentou um solo ''Fragmentos de um homem com calça preta''. Ainda em 2000, juntamente com João Porto Dias, Felícia de Castro, João Lima e Flávia Marco Antonio, após participarem de um retiro de iniciação na arte do palhaço ministrado pelo grupo de teatro Lume, fundam o grupo Palhaços Para Sempre. Esse foi um grupo estável voltado para a pesquisa da arte do palhaço e outras técnicas para o ator que durou uma década. Em seus primeiros anos como palhaço, e, com este grupo, realizou várias montagens, apresentações, organizou cursos e experiências foram exploradas, todas voltadas para a arte do palhaço e o trabalho do ator. O espetáculo "Rosário", feito em parceria com a atriz Felícia de Castro, por exemplo, pode ser considerado uma das consequências desta outra vertente de pesquisa voltado para o trabalho criativo do ator. A atividade de palhaço foi conquistando cada vez mais espaço em sua vida. Em 2001 cria, dirigi e atua ao lado de João Porto Dias o espetáculo Ato de Clown, apresentado no Encontro Internacional de Palhaços, em João Pessoa (PB).

Em 2004, inspirado por um festival de rua acontecido um ano antes no Aeroclube (Salvador), cria em parceria com o ator e palhaço, Alexandre Casali e músico e palhaço Celo Costa, o espetáculo "Tataravó". A montagem circulou pela Europa integrando os diversos festivais artísticos de rua. Em julho de 2004, o espetáculo foi primeiramente exposto à plateia europeia em Rambla de Barcelona, em seguida foram à Itália, à França e à Suiça. Entre os festivais europeus mais importantes destacam-se o de Aurillac e o de Zurique. Em 2006, "Tataravó" foi apresentado no Festival Nacional de Teatro da Bahia. Integrou, em 2009, o Festival Internacional de Artes Cênicas da Bahia e, em 2010, também esteve no FILTE – III Festival Latino Americano de Teatro da Bahia. Recentemente, estiveram na República Dominicana, representando o Brasil no Festival Iberoamerciano de Teatro Infantil e Juvenil (2011) e na Terceira Convenção Baiana de Malabarismo, Circo e Artes de Rua (2012).


Durante a trajetória do espetáculo "Tataravó", Demian participa também de outras montagens como A Era Clown – Tempo de Palhaço¸ em 2005, sob direção de Alexandre Casalli; e A Refeição e o Elefante, em 2007, sob direção de João Lima, apresentado no Teatro José de Alencar, em Fortaleza.

Entre 2006 e 2010, Demian faz doutorado, também na UFBA. Nessa experiência, que teve a orientação de Cleise Furtado Mendes, foi privilegiado a dimensão dramatúrgica da arte do palhaço, onde, entre outras coisas, explorou a capacidade que o palhaço tem de mexer com a leitura do mundo, de denunciar as leituras de mundo por meio da desconstrução delas de modo cômico. Ao lado do estudo de doutorado havia, mensalmente, produção e apresentação de diversos números de palhaçaria, como, por exemplo , A Refeição, A peleja do Jagunço com o Soldado Invocado, Pega Ladrão, apresentados em praças, teatros e outros espaços de Salvador e fora. A Dama e O Palhaço, espetáculo também criado nesse momento de doutorado, foi criado na europa em parceria com a atriz Nayara Homem, durante sandwiche, período do doutorado no exterior e foi apresentado em diversos festivais de rua em 2007 (Zurique, Arillacc).

Junto com Felícia de Castro, produziu dois espetáculos: Rosário (2009), no qual assumiu a direção do solo que tinha Felícia como atriz e que inclusive se tornou tema de mestrado da mesma defendido na Ufba, e Lavando a Alma (2008), onde atuam em parceria. Lavando a Alma é uma releitura de números clássicos sobre a arte de palhaçaria. Em 2009, dirigiu o espetáculo Cabaré Total, espetáculo apresentado em 2009 na SITORNE, homenageando o dia do palhaço. Nesse espetáculo, inclusive, o famoso Pinduca foi ao palco, já com 94 anos, para celebrar o seu dia, num belo ato de simbolismo. Em outubro de 2012 idealizou, concebeu e dirigiu o Cabaré do Riso que teve uma temporada com 5 edições no Teatro Gamboa Nova trazendo atrações e convidados diferentes a cada noite. Inclusive o próprio Pinduca participou, agora com 97 anos, mas também houve a participação do Malabares Mágicos, da Cia Pé na Terra, do Nariz de Cogumelo entre outros convidados como João Lima, Felícia de Castro e Paulo Almeida, filho do Pinduca. Também na SITORNE, Demian produziu e organizou, junto com Alexandre Casali, Felícia de Castro e João de Lima, um curso de 2 anos sobre palhaçaria.

Ministrou mais de 20 oficinas, cursos e vivências de palhaço para mais de 500 pessoas em diversas cidades da Bahia entre as quais Salvador, Pintadas, Arraial da Ajuda, Ilhéus, Jequié, Feira de Santana, Vitória da Conquista, Euclides da Cunha, Santa Maria da Vitória, Jacobina, Conceição do Coité, Alagoinhas, Camaçari, Morro do Chapéu e Porto Seguro. Realizou, também, cerca de 20 comunicações, debates e palestras sobre palhaçaria. As oficinas duravam 1 semana, com aulas diárias. Elas foram, sobretudo, uma maneira de disseminar ideias e pessoas entre capital e interior, revelando novos talentos, reconhecendo velhos talentos e renovando a atmosfera artística do interior da Bahia.

Atualmente, Demian está no Pós-doutorado, que tem como tema a investigação da tradição de riso da tribo Krahô, do interior de Tocantins, e também envolve-se com a atividade do ensino de modo que ministrou diversos cursos de teatro e palhaçaria no IHAC – UFBA. Ao mesmo tempo, ele é professor do RETRATE – Interior ( Programa de Requalificação dos Trabalhadores de Teatro do Interior ), que é coordenado pela SATED-BA ( Sindicato dos artistas técnicos em espetáculos de diversões do estado da Bahia ). E, como forma de socializar o pensamento no meio acadêmico, Demian também conta com vários textos públicados, e inclusive pretende concretizar sua mais nova empreitada, seu primeiro livro, inspirado na sua tese de doutorado: ''Caçadores de Risos: o maravilhoso mundo da palhaçaria''.

 

Clique aqui e visite o Blog de Demian Reis


Veja abaixo, os vídeos  de trabalho de Demian Reis

 



 
FacebookGoogle BookmarksGoogle BuzzLinkedinMySpaceTwitter